sexta-feira, 17 de março de 2017

Em cada verso a passear, a passear...

Versos "à maneira de Luísa Ducla Soares", produzidos pelos alunos do 5.ºB.

A de Âncora
Âncora presa na areia...
onde há sempre o que achar...
no meio do nada, haverá amigos para te acolher.
Âncora
sem tirar nem pôr.
                                       Joana F.

A de Âncora!

Âncora,
de água brilhante...
abrigada pelas dunas de areia amarelada.
de céu azul com amanhecer colorido.
Âncora,
Abençoada Âncora!
                                         Ricardo L.

A de Âncora
Âncora,
da alegria…
do amor dos adolescentes,
que abrem asas e voam,
Agora Âncora… do mundo a sonhar...
         
                              Nuna B.


C de Caminha
Caminha
das cores,
dos concertos...

Caminha
competente,
do céu azul,
dos conhecimentos...
do clima ameno.

Caminha cativante.
Caminha.
                             Maya F.

S de Soutelo
Soutelo,
com os seus senhores seniores,
cheios de saudades da juventude,
mas ainda sábios,
e com todos os sentidos sensatos.
                                                   Francisco L.


V de Vilarinho
Vilarinho
onde as pessoas têm a cabeça a voar...
De vista tão bela,
do verde  das árvores.
Vilarinho,
vila tão viva.

Ivan F.

À descoberta dos livros...



A ILHA NA RUA DOS PÁSSAROS
de URI ORLEV 

Para descarregar a proposta, clica em:
A ilha na Rua dos Pássaros de Uri Orlev

Sinopse:
A Segunda Guerra Mundial está em curso. Os tempos são difíceis na Polónia, especialmente para os judeus. Alex é judeu e tem onze anos. Quando a sua mãe desaparece e o pai é “seleccionado” pelo exército alemão para ir para um destino desconhecido, Alex, completamente sozinho, é obrigado a refugiar-se num edifício abandonado na Rua dos Pássaros onde vai aguentar um Inverno. Pacientemente, sem pressas, Alex vai sobrevivendo, enquanto espera o regresso do pai. Por um nicho de luz, Alez consegue vislumbrar os escombros, a degradação e miséria total a que aquela terra, outrora tão apetecível, foi votada.
Coragem e valentia não são excepcionais em tempo de guerra, mas Alex só tem 11 anos e a sua história é, na verdade, sobre o desejo de alguém vencer a crueldade e a injustiça.


sexta-feira, 10 de março de 2017

Concurso "Ortografia é comigo!"

Resultados da prova de fevereiro 2017:


quinta-feira, 9 de março de 2017

À descoberta de... Luís Vaz de Camões

Camões 
(retratado pelo pintor José Malhoa)




 Luís Vaz de Camões

Este poema que fiz
é para a minha avaliação oral,
o tema é sobre um grande soldado e poeta,
 Luís Vaz de Camões, nascido em Portugal.

Não se sabe muito sobre a sua vida,
mas há uma certeza,
a sua existência nunca será esquecida.

Camões, filho de Simão Camões e Ana Macedo,
n"Os Lusíadas" dignificou o povo lusitano,
um povo que venceu o medo.

Numa viagem rumo à Índia, 
o barco dele naufragou,
Mas Camões com o seu feitio persistente,
da sua obra não abdicou.

Depois de todo o esforço e viagens "azedas",
Camões regressou a Lisboa, e três anos depois
publicou "Os Lusíadas".

Foi-lhe dada uma tença de 15 mil reis anual,
infelizmente, durou pouco,
morreu três depois, 
o poeta de Portugal.

Viveu e morreu na pobreza,
mas o que ele fez em vida,
é considerado uma proeza.

 texto de Luís Vasconcelos, 9.º B


sexta-feira, 3 de março de 2017

Era uma vez...

Os Amigos da BE com o apoio (precioso) do professor Borlido e, ainda, da Equipa da BE prepararam a dramatização do conto de Hans Christian Andersen A Princesa e a ervilha.
Prepararam o cenário (elaboraram algumas peças, desenharam e pintaram materiais), aprenderam a manipular as marionetas e a fazer a leitura dramática com a utilização de alguns adereços.
Depois de bastante esforço e numerosos ensaios, fizeram sete representações do conto aos colegas do 4.º e 5.º anos que se entusiasmaram com o trabalho apresentado.

Apreciação de Renato P. (5.º C):



Os alunos do 5º C, no dia 13 de fevereiro de 2017 foram convidados a assistir à peça teatral “A Princesa e a ervilha”, na biblioteca da nossa escola. O autor do conto chama-se Hans Cristian Andersen. Foi um autor diferente dos outros escritores porque criou os seus próprios contos, como O Patinho feio e A pequena Sereia. Hans Cristian Andersen tornou-se um escritor tão importante que deram, ao maior prémio de leitura para crianças e jovens, o seu nome. A Dinamarca, país onde nasceu Hans Cristian Andersen, tem como símbolo a estátua da pequena sereia.
A representação do conto foi feita por três alunos do 6ºA. Eu achei que foi fantástico, pois a manipulação com as marionetas foi muito habilidosa e as vozes estavam bem projetadas.
 






7 Dias, 7 Dicas sobre os Media: direitos de autor





Internet Segura

Para alertar sobre o uso responsável e crítico da Internet e das redes sociais, os alunos do 1.º e 2.º ciclo participaram em várias sessões de sensibilização, dinamizadas em parceria com a GNR/ Escola Segura, durante o mês de fevereiro.
 Nessas sessões, os alunos foram avisados para reduzir a sua “pegada digital”, contribuindo assim  para um uso da Internet mais seguro. Além disso, foram abordados temas muito sensíveis e atuais que responderam às preocupações de muitos alunos como o cyberbullying, furto de identidade, privacidade e dependência a  redes sociais e jogos digitais.